Segunda edição do Festival Literário de Araxá – Fliaraxá – homenageia Adélia Prado

19 de novembro de 2018

Cobertura em vídeo do segundo Fliaraxá 2013: https://bit.ly/2zkJDXh

O Ministério da Cultura e o Circuito CBMM de Cultura apresentam a segunda edição do Festival Literário de Araxá – Fliaraxá -, que volta à cidade com uma programação enriquecida por importantes nomes da cultura nacional, sob o tema “A Viagem na Literatura”. Serão quatro dias de intensa atividade, de 19 a 22 de setembro de 2013 – quinta a domingo -, na Fundação Calmon Barreto.

Com abertura marcada para noite de lua cheia, o Festival vai levar a Araxá escritores do porte de Adélia Prado, Amyr Klink e família, Ruy Castro, Heloisa Schurmann, Heloisa Seixas, Marcelo Yuka, Laura Muller, Marcia Tiburi, Leila Ferreira, Luiz Ruffato, Humberto Werneck, Mary Del Priore, Paula Pimenta, Roberto Carlos Ramos, Alberto Villas, Cris Guerra, Chico Amaral, Marcel Souto Maior, J. D. Vital, Evandro Affonso Ferreira, Dirceu Ferreira e Airton Ortiz. A manhã de domingo, dia 22, está reservada para homenagear Vinicius de Moraes, cujo centenário de nascimento transcorre no dia 19 de outubro deste ano.

E com boas surpresas, como a presença da empresária Angela Gutierrez, em um painel sobre memória e patrimônio, o arquiteto Gustavo Penna, falando sobre Arquitetura e Poesia, e o músico Celso Adolfo, falando sobre composição e Guimarães Rosa e Rubinho do Vale, com suas músicas e livros. Todas as noites vão se encerrar com apresentações de música instrumental, com Juarez Moreira e Chico Amaral Quarteto.

Com curadoria de Afonso Borges – idealizador do Sempre Um Papo, projeto de incentivo ao hábito da leitura criado há 27 anos -, o Festival, uma vez mais, terá programação farta e diversificada, oferecendo debates, palestras, lançamentos, oficinas, exibições, saraus, venda de livros e sorteios. Novidade nesta edição: um concurso literário que vai premiar redações de estudantes do ensino médio das escolas públicas e privadas de Araxá. O prêmio será entregue por Adélia Prado, no dia 21.

Neste ano, o tema central do Fliaraxá é “A Viagem na Literatura”. Não sem bons motivos: as viagens sempre foram um grande mote da literatura. Como numa viagem guiada, um bom livro permite ao leitor transitar por diferentes ideias, histórias, emoções, tempos e lugares, na companhia de personagens que lhe abrem novos e fascinantes horizontes. Basta lembrar tantas obras imortais nascidas daquilo que viveram aventureiros, escritores, naturalistas. Em seus diários e relatos, viajantes notáveis compuseram joias do texto literário, registrando não apenas as viagens que empreenderam como as mudanças que elas operaram em seus corações e mentes. É o caso de Amyr Klink, conquistador dos mares e aliado dos ventos, capaz de destilar suas aventuras em rica obra literária. É de responsabilidade dele, de sua esposa e das três filhas uma das mais aguardadas mesas do Fliaraxá, que nesta segunda edição consolida a importância que já tem na cena literária e cultural do Brasil.

PROGRAMAÇÃO

QUINTA-FEIRA , 19/09

13h – Abertura

14h – Roberto Carlos Ramos – “O Contador de Histórias – Literatura e Desafios” Estação Literária

15h30 – Paula Pimenta  – “Viagem no Mundo dos Jovens” Estação Literária

16h30 – Marcelo Yuka  – “De Ex-baterista do Rappa a Ativista Social e Poeta”  Estação Literária

17h30 – Roberto Carlos Ramos – Oficina “Como Contar Uma História” Vagão Literário

18h – Abertura Oficial Estação Literária

18h – Musica Instrumental Coreto

18h30 – J.D. Vital autografa o livro “Como se Faz um Bispo” Central de Autógrafos

19h – Mary Del Priore e Angela Gutierrez – “Viagens pela História, Patrimônio e Memória” Estação Literária

20h30 – Amyr, Marina, Tamara, Laura e Marininha Klink– “Viagem Pela Literatura e Navegação” Estação Literária

22h – Música Instrumental de Juarez Moreira Coreto

23h – Encerramento

SEXTA-FEIRA, 20/09

13h – Abertura

14h – Rubinho do Vale – “Cultura Popular – Música e Literatura” Estação Literária

15h30 – Humberto Werneck e Luiz Ruffato – “Viagem na Ficção e Não-Ficção” Estação Literária

16h30 – Alberto Villas e Chico Amaral  – “Viagem na Música e na Memória” Estação Literária

17h – Musica Instrumental Coreto

17h30 – Rubinho do Vale – Oficina “Aprendendo Sobre Cultura Popular” Vagão Literário

18h – Heloisa Schurmann e Leila Ferreira – “Literatura, Viagem e Superação” Estação Literária

17h30 – Marlette Menezes autografa o livro “Lá no fundo do peito” Central de Autógrafos

19h30 – Ruy Castro e Heloisa Seixas – “Viagem na Literatura e Jornalismo” Estação Literária

20h30 – Musica Instrumental Coreto

20h45 – Intervenção Teatral com Trupe Gaia Estação Literária

21h – Adélia Prado – “Viagem na Poesia e Literatura” Estação Literária

22h30 – Encerramento com Show com Chico Amaral Quarteto Coreto

24h – Encerramento

SÁBADO , 21/09

10h – Abertura

11h – Entrega do I Prêmio Fliaraxá – Literatura nas Escolas, com Adélia Prado Estação Literária

11h – Oficinas de Malabares e Educação Ambiental com Trupe Gaia Coreto

11h30 – José Luiz Goldfarb conversa com Pais e Mestres – “A Internet e as Novas Mídias na Família e Educação” Estação Literária

12h30 – 1º edição do ETC em Araxá – Encontro de Tuiteiros Culturais com José Luiz Goldfarb Vagão Literário</strong>

13h – Musica Instrumental Coreto

14h – Cris Guerra e Leila Ferreira – “Moda e Estilo: uma Viagem Intuitiva”  Estação Literária

15h – Gustavo Penna – Oficina “A Viagem na Poesia e na Arquitetura” Vagão Literário

15h –Trupe Gaia – Espetáculo de “Palhaços Palhaçita Vai à Praia”  Coreto

15h30 – Laura Muller  – “Altos Papos – Viagem na Literatura e na Sexualidade” Estação Literária

16h30 – Celso Adolfo – Oficina “A Música na Literatura Guimarães Rosa”  Vagão Literário

17h30 – Marcia Tiburi – “A Felicidade e a Banalidade do Vício na Era Digital” Estação Literária

18h – Cris Guerra – Oficina “Criação de Blogs Literários” Vagão Literário

18h15 – Show com Malabares de Luzes – Trupe Gaia –  Estação Literária

18h30 – Renato Zupo autografa o livro “Verdugo” Central de Autógrafos

18h30 – Academia Araxaense de Letras – “Lançamento da Primeira Antologia da Academia” Estação Literária

19h30 – Marcel Souto Maior – “Viagem nas Vidas e Literatura de Alan Kardec e Chico Xavier”  Estação Literária

20h30 – Leila Ferreira, Dirceu Ferreira, Evandro Affonso Ferreira e Marcel Souto Maior no debate e lançamento de seus mais recentes livros  Estação Literária

22h – Chico Amaral Quarteto Coreto

24h – Encerramento

DOMINGO , 22/09

10h – Abertura

10h15 – Intervenção Circense com Trupe Gaia

10h30 – Caio Junqueira Maciel –  “A Sensualidade na Poesia de Vinicius de Moraes”  Estação Literária

10h30 – Apresentação do Coral Infantil DÓ, MI, SOL Coreto

11h – Oficinas de Malabares e Educação Ambiental com Trupe Gaia Coreto

11h – Sarau de poemas Estação Literária

11H30 – Banda Sinfônica Padre Clóvis Coreto

12h – Homenagem lítero-musical a Vinicius de Moraes. Estação Literária

14h – Encerramento

*Nos horários sem programação no Vagão Literário serão exibidos vídeos do acervo do Sempre Um Papo

*Após cada evento, os participantes das mesas autografam seus livros na Central de Autógrafos

OFICINAS:

19/09, quinta-feira, 17h30 – Vagão Literário

Roberto Carlos Ramos – Oficina “Como Contar Uma História”

Roberto Carlos Ramos é um homem cercado de histórias, as que ele conta e a que ele mesmo viveu. Não é por acaso que sua história de vida virou filme e hoje é considerado  um entre os mais importantes contadores do mundo. Sua experiência e seus conselhos como contador serão os temas da oficina.

20/09, sexta-feira, 17h30 – Vagão Literário
Rubinho do Vale – Oficina “Aprendendo Sobre Cultura Popular”

A música de Rubinho é inspirada, principalmente, na cultura de sua região, o vale do Jequitinhonha, ela é um retrato de Minas e do Brasil. Nesta oficina, Rubinho fala sobre a importância de identificar e proteger elementos da cultura popular e sobre as formas de mantê-la viva no imaginário dos mais jovens.

21/09, sábado, 11h – Coreto

Trupe Gaia – Oficinas de Malabares e Educação Ambiental

A Trupe vê a arte como veículo transformador de conceitos e paradigmas e busca despertar em todo ser, criança e adulto, um artista transformador da sua realidade. Nestas duas oficinas, a Trupe alia educação e arte e ensina a técnica dos malabares e o respeito ao meio ambiente.

21/09, sábado, 15h – Vagão Literário

Gustavo Penna – Oficina “A Literatura na Arquitetura”

A arquitetura é como poesia, é literatura edificada. Nesta oficina, Gustavo Penna, um dos maiores nomes da arquitetura mineira, apresenta a relação entre as letras e a arte das construções.

21/09, sábado, 16h30 – Vagão Literário

Celso Adolfo – Oficina “A Música na Literatura de Guimarães Rosa”

O músico Celso Adolfo compôs um disco inteiro a partir dos contos de Sagarana, de Guimarães Rosa. Nesta oficina, a partir de seus estudos, ele apresenta a musicalidade contida na literatura do grande mestre mineiro e prova que os sons e as letras são parceiros inseparáveis.

21/09, sábado, 18h – Vagão Literário

Cris Guerra – Oficina “Criação de Blogs Literários”

Sucesso na internet, Cris sabe bem como lidar com sua dinâmica. A internet permite uma infinidade de conteúdo, cada um pode publicar o que bem entender. Mas como se destacar neste universo? Como criar e cativar o público? Essas e outras dicas sobre o mundo dos blogs na oficina de Cris Guerra.

CONVIDADOS:

Adélia Prado nasceu em Divinópolis, Minas Gerais, em 1935, onde reside até hoje. Sua formação é Magistério e Filosofia. É poetisa, com grande bibliografia, incluindo “Filandras”, “Bagagem”, “O Pelicano”, O Homem da Mão Seca”, “A faca no Peito”, “Manuscritos de Felipa”, “Oráculos de Maio”, “Quero Minha Mãe”, “Cacos para um Vitral”, “Solte os Cachorros”, “Os Componentes da Banda” e “Terra de Santa Cruz”.

Alberto Villas nasceu em Belo Horizonte em 1950. Decidiu-se pela carreira de jornalista ao vencer, em 1970, o Concurso de Contos do Estado do Paraná. Formado em Paris, onde viveu por seis anos, colaborou com quase todos os jornais alternativos da época. Em 1980 voltou para o Brasil, onde trabalhou em O Estado de S. Paulo, Rede Bandeirantes, SBT, TV Manchete e Rede Globo de Televisão. Em 2006 lançou o seu primeiro livro, “O mundo acabou!”. É também autor de “Afinal, O Que Viemos Fazer em Paris?”, “Admirável Mundo Velho!” e “Onde Foi Parar Nosso Tempo?”.

Angela Gutierrez é empresária, colecionadora de arte e empreendedora cultural. Filha de Flávio Castelo Branco Gutierrez e Maria Auxiliadora Thomasi Gutierrez, nasceu em Belo Horizonte, onde realizou seus estudos. É administradora de empresas pela Fundação Getúlio Vargas, com especialização em Marketing. Presidente do Instituto Cultural Flávio Gutierrez, é responsável pela gestão do Museu do Oratório e do Museu de Artes e Ofícios. É, ainda, pesquisadora do Barroco Brasileiro especializada em Arte Sacra e ex-secretária de Cultura do Estado de Minas Gerais.

Amyr Klink é natural de São Paulo, filho de pai libanês e mãe sueca. Começou a frequentar a região de Paraty (RJ) com a família quando tinha apenas dois anos de idade. Essa cidade histórica do litoral brasileiro é o lugar que o inspirou a viajar pelo mundo. Casou-se em 1996 com Marina Bandeira, com quem tem as filhas gêmeas Tamara e Laura, nascidas em 1997 e a caçula, Marininha, nascida no ano 2000. Em 1978, com 23 anos, fez sua primeira viagem internacional, de moto, até o Chile. Cinco anos depois, em 1983, termina a construção do seu primeiro barco: o I.A.T., com o qual, no ano seguinte, faria a primeira travessia solitária a remo do Atlântico Sul. Em 1986 realiza a primeira de suas 15 viagens à Antártica. Na volta, começa a construção do Paratii, veleiro com o qual faria mais diversas viagens pelo mundo.

Celso Adolfo é cantor e compositor nascido em São Domingos do Prata, no dia 9 de setembro de 1952. Filho de Maria Gonçalves Marques e de José dos Reis Marques. Mudou-se para Belo Horizonte em 1969 para terminar seus estudos secundários e fez curso de Estradas na Escola Técnica Federal, onde participou do coral ETFMG como presidente e como coralista. Em 1972, fez sua primeira trilha para teatro na peça “O Auto da Compadecida”. Em 1976, participou da temporada de Paulinho da Viola no Teatro Francisco Nunes, na capital mineira. Quando fazia o show “Coração Brasileiro” no teatro Clara Nunes, em 1982, Celso foi assistido por Milton Nascimento, que logo em seguida gravou a música com o mesmo título em seu disco “Anima”, no qual o próprio Celso toca violão. Milton Nascimento produziu o disco de Celso Adolfo “Coração Brasileiro” em 1983 e suas músicas foram gravadas por Elba Ramalho. Em 1988, seu disco “Feliz” é dirigido e arranjado por Túlio Mourão. Celso Adolfo recebe o prêmio “Canta Brasil Award”, em 1997, nos Estados Unidos.

Chico Amaral pertence a uma geração de músicos que está entre o Clube da Esquina e a nova música feita em Minas. Ele circula com facilidade em meio a música instrumental mais densa, a música pop e a MPB. Esta característica encontra-se na sua maneira mais aberta de tocar e de se relacionar com públicos diferentes. Mais conhecido como letrista do Skank, Chico Amaral começou sua carreira em 1979, no conjunto de choro “Naquele Tempo”, quando tocou com Altamiro Carrilho e Cartola. Além do Skank, participou do trabalho de vários artistas, em shows e discos. Tocou guitarra com Marcus Viana em seu grupo Sagrado Coração da Terra; gravou com Lulu Santos no disco “Assim Caminha a Humanidade”; tocou em show com Jorge Benjor. Participou como convidado, de apresentações de Nivaldo Ornelas e Milton Nascimento. Como compositor foi gravado por diversos nomes da MPB, como Daniela Mercury, Ivete Sangalo, Milton Nascimento, Ney Matogrosso, Cidade Negra.

Cris Guerra é publicitária, colunista e escritora. Autora do blog Para Francisco (sucesso que virou livro em 2008) e do primeiro blog de looks diários do Brasil, o Hoje Vou Assim, Cris tornou-se formadora de opinião em moda, gerando novos hábitos com seu bom gosto e seu olhar simples e bem humorado. Cris tem uma coluna de moda diária na Rádio BandNews FM de Belo Horizonte e escreve crônicas quinzenais para a revista Veja BH. Diariamente, posa como modelo em seu próprio blog de moda. Acaba de lançar o livro “Moda Intuitiva“, pela Editora Lafonte. Quando arranja tempo, escreve um terceiro blog, o Amor e ponto. Seu grande segredo é fazer tudo isso com muita espontaneidade e verdade. É sendo ela mesma e passando adiante essa mensagem que Cris propõe uma nova discussão sobre moda, beleza, juventude e autoestima.

Dirceu Ferreira começou sua carreira de humor no Correio de Araxá. Foi lançado nacionalmente no Pasquim, por Ziraldo. Colaborou também no Estado de Minas e na Folha de São Paulo. Publicou seu primeiro livro “Minhas Marílias e Seus Nomes de Guerra” em edição independente. Depois teve o livro “Picadinho de Humor à Mineira” e o almanaque “Inconfidências Mineiras de Humor”, divulgados pela Editora Codecri. Em seguida lançou pela Nova Fronteira “Édipo é a mãe”, que chegou à 5ª. Edição. Depois da produção independente de “Mas Podem Me Chamar de Woody Allen”, parou de escrever para jornais e editoras. Volta agora com o livro “Máximas de Dirceu”, essencialmente de frases, pela Editora Autêntica.

Evandro Affonso Ferreira  nasceu em Minas Gerais, em 1945, e se radicou em São Paulo há 40 anos. Surgiu na literatura em 2000 – apresentado por José Paulo Paes. Participou de uma coletânea de contos em Portugal ao lado de Osman Lins, Dalton Trevisan, Samuel Rawet, Hilda Hilst, José J. Veiga, João Antonio e Sérgio Santana – organizada por Alcir Pécora. Entre os livros publicados estão: Grogotó! (Topbooks), Araã! (Hedra), Erefuê, Zaratempô!, Catrâmbias! (Editora 34), “Minha Mãe se Matou Sem Dizer Adeus” (Ed. Record) e “O Mendigo Que Sabia de Cor os Adágios de Erasmo de Rotterdam” (Ed. Record)

Gustavo Penna é graduado em arquitetura pela Universidade Federal de Minas Gerais, formando-se em 1973. No mesmo ano, constituiu o escritório que recebe seu nome. Projetou diversas obras, dentre elas o prédio da Rede Globo Minas, o Expominas, o Museu de Congonhas, a sede da Escola Guignard, além de vários projetos residenciais. Também realizou obras de cunho urbanístico, como a intervenção na orla da Lagoa da Pampulha e na área da Praça Sete, os pontos mais conhecidos da capital mineira. Em Araxá, assina o projeto do Teatro Municipal a Requalificação Urbanística e Arquitetônica da Região Central.

Heloisa Schurmann graduou-se como professora de inglês na New York University.  Em Florianópolis, foi proprietária de uma escola de inglês com cerca de mil alunos. Leitora apaixonada do escritor francês Jules Verne, ela abandonou a vida segura em Santa Catarina para viver o sonho de se aventurar pelo mundo em família. Heloísa, que transformou seu hobby de escrever em profissão, coordena o planejamento dos projetos da Família na área educacional, faz palestras em empresas de todo o país e desdobra-se para garantir o bem-estar da tripulação a bordo. No site da Família Aventura, Heloísa escreve uma coluna semanal, na qual compartilha com os leitores sua riquíssima experiência de vida e manifesta uma sempre renovada curiosidade por descobrir coisas novas.

Heloisa Seixas nasceu no Rio de Janeiro, onde mora. É autora de mais de dez livros, entre eles os romances “A Porta” (Record, 1996), “Diário de Perséfone” (Record, 1998), “Através do Vidro” (Record, 2001) e “Pérolas Absolutas” (Record, 2003). “A Porta” e “Pérolas Absolutas” foram finalistas do Prêmio Jabuti, assim como “Pente de Vênus” (Sulina, 1995, Record 2000), de contos, seu livro de estreia. Heloisa, que durante sete anos escreveu a coluna “Contos Mínimos” no Jornal do Brasil, é também autora de um livro sobre o mal de Alzheimer, “O Lugar Escuro” (Objetiva, 2007).

Humberto Werneck nasceu em Belo Horizonte em 1945, é jornalista e escritor. Começou no jornalismo no Suplemento Literário do Minas Gerais. Mora em São Paulo desde 1970, onde já trabalhou no Jornal da Tarde, Veja, Jornal da República, Isto É, Jornal do Brasil e Elle. É cronista do jornal O Estado de S. Paulo e autor de “O Pai dos Burros” e “O Santo Sujo: A Vida de Jayme Ovalle”, entre outros livros.

José Luiz Goldfarb possui graduação em Física pela Universidade de São Paulo (1978), mestrado em Filosofia e História da Ciência – McGill University, Canadá (1980) e doutorado em História da Ciência pela Universidade de São Paulo (1992). Atualmente é professor da Pontifícia Universidade Católica de São Paulo, vice-coordenador do Programa de Estudos Pós-Graduados em História da Ciência para o Biênio 2011/2013, coordenador do Twitter da PUC SP e presidente da Cátedra de Cultura Judaica da PUC SP. É também coordenador do Programa de incentivo à leitura: “Rio: uma cidade de Leitores”, da Secretaria de Educação da Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro. Curador do Prêmio Jabuti da Câmara Brasileira do Livro, assessor da Presidência para comunicação digital e redes sociais da Associação Brasileira ‘A Hebraica’ de São Paulo. É ainda conselheiro da Biblioteca Haroldo de Campos (Casa das Rosas – Secretaria de Estado da Cultura), presidente do conselho deliberativo da Associação Amigos do Museu Judaico de São Paulo, diretor de eventos da Sociedade Brasileira Amigos da Universidade Hebraica de Jerusalém, coordenador do projeto #Rede MIS, no Museu da Imagem e do Som de São Paulo. É também Membro Honorário da Academia Paulista de Educação.

J.D. Vital é jornalista. Trabalhou como assessor de imprensa dos governadores Tancredo Neves e Hélio Garcia. É autor de vários livros-reportagem, entre eles, “Quem Calçará as Sandálias do Pescador?” e “A CBMM e a Cidadania”.

Juarez Moreira, mineiro de Guanhães, é compositor, violonista e arranjador. Iniciou-se na música como autodidata em sua cidade natal, aos 12 anos, atraído pela Bossa Nova, pelo Jazz e pelos clássicos, em especial por Johann Sebastian Bach, cuja influência se faz notar até hoje em suas composições e improvisações. Mudando com a família para Belo Horizonte, começou sua carreira profissional com o pianista e compositor Wagner Tiso, em 1978, e tornou-se um músico respeitado como solista desde então. Trabalhou com grandes nomes da música, como Milton Nascimento, Maria Bethânia, Lô Borges, Wagner Tiso, Ivan Lins, Toninho Horta e Badi Assad.  Tem 11 discos lançados, sendo mais recente o DVD “Juarez Moreira Ao Vivo no Palácio das Artes”.

Laura Muller é psicóloga clínica, educadora sexual e comunicadora social. Se divide entre as palestras que faz por todo o Brasil com temas relacionados à sexualidade e relacionamentos, os atendimentos psicológicos em seu consultório e as participações como sexóloga do programa Altas Horas, da TV Globo. Escreve para o portal iG, no site iGirl, com a coluna SEXO SEM NEURAS, que vai ao ar a cada quinze dias, e faz mensalmente a coluna SEXUALIDADE para o site Bayer Jovens. Já publicou os livros “500 Perguntas Sobre Sexo” e “500 Perguntas Sobre Sexo do Adolescente”, lançados pela editora Objetiva em 2001 e 2006, “Altos Papos Sobre Sexo – Dos 12 aos 80 Anos”, publicado pela editora Globo Livros em 2009, e “Educação Sexual em 8 Lições – Um Guia Para Professores E Pais”, recém lançado pela editora Academia do Livro.

Laura, Tamara e Marina Helena, a Marininha, são filhas do navegador Amyr Klink e da fotógrafa Marina Bandeira Klink. Juntas, escreveram o livro “Férias na Antártica”, um relato de viagem com as lembranças de cinco expedições de sua família ao continente antártico, onde focas, pinguins, baleias e muitos outros animais passam o verão. Elas sabem e entendem que o planeta precisa de cuidados e que, onde quer que as pessoas vivam, as atitudes refletem em lugares distantes.

Leila Ferreira é formada em Letras e Jornalismo, com mestrado em Comunicação pela Universidade de Londres. Colaboradora da revista Marie Claire e autora do livro “Mulheres: por que será que elas…?” (Editora Globo), foi repórter da Rede Globo Minas por cinco anos e durante 10 anos apresentou o programa “Leila Entrevista” (Rede Minas e TV Alterosa/SBT), que produziu 13 séries internacionais e por onde passaram mais de 1,6 mil entrevistados.

Luiz Ruffato nasceu em Cataguases (MG) em 1961. Publicou: “Histórias de remorsos e rancores” (histórias, 1998); “Os sobreviventes” (histórias, 2000), Menção Especial do Prêmio Casa de las Américas –; “Eles eram muitos cavalos” (romance, 2001), vencedor do Prêmio APCA de melhor romance de 2001 e Prêmio Machado de Assis de Narrativa, da Fundação Biblioteca Nacional; “Come tanti Cavalli” (Milano, Bevivino Editore, 2003); “Tant et tant de chevaux” (Paris, Éditions Métailié, 2005); “Eles eram muitos cavalos” (Espinho, Quadrante, 2006); “As máscaras singulares” (poemas, 2002); “Os ases de Cataguases” (ensaio, 2002); “Mamma, son tanto Felice” (Inferno Provisório – Volume I romance, 2005) e “O mundo inimigo” (Inferno Provisório – Volume II romance, 2005), ambos vencedores do Prêmio APCA de melhor ficção de 2005); “Vista parcial da noite” (Inferno Provisório – Volume III romance, 2006) e “O livro das impossibilidades” (Inferno Provisório – Volume IV romance, 2008).

Marcelo Yuka é fundador da banda O Rappa, tendo sido baterista e principal letrista da banda. Considerado um grande compositor e um dos artistas mais engajados de seu tempo, Marcelo é uma importante liderança social. As letras críticas e contundentes marcaram sua trajetória de sucesso. Músico, compositor, ativista, palestrante, poeta, ele é um artista completo, que propaga soluções humanizantes para o grave problema da violência no país. Lançou recentemente seu primeiro livro: “Astronauta Daqui”. Sobre ele, foi lançado recentemente o documentário “Marcelo Yuka no Caminho das Setas”.

Marlette Menezes é artista visual, designer e ilustradora, com graduação em Artes Plásticas e pós-graduação em Marketing, ambas pela UFMG. Atua em projetos de comunicação e editoriais somando processos artesanais a tecnologias digitais. Participa de projetos socioculturais na realização de oficinas de criação, projeto e produção em processos artesanais. Como ilustradora, tem mais de 20 livros publicados e acumula vários prêmios, entre eles o Jabuti 2009 na categoria Infantil.

Marina Klink é fotógrafa. Desde os anos 80 registra temas ligados à natureza, especialmente paisagens polares. Colabora para veículos como National Geographic Brasil, Revista da Folha, Revista Caras, Trip, Tpm, Revista Serafina, entre outros. Seus registros fotográficos já foram destaque na exposição Optimist 30 anos, National Geographic Channel, Latitude 90. O livro “Férias na Antártica” de autoria das suas 3 filhas, é totalmente ilustrado com suas fotografias. Marina é fotógrafa associada da agência Gettyimages.

Marcel Souto Maior nasceu no Rio de Janeiro (RJ). Jornalista, trabalhou nos cadernos de cultura de alguns dos maiores impressos do Brasil. Na televisão, trabalhou sempre na Rede Globo. Ingressou na emissora como editor do Fantástico, passando a editor-executivo da Globo News e supervisor de texto do programa Linha Direta. Implantou e dirigiu o programa Profissão Repórter, apresentado por Caco Barcellos. O jornalista é editor do programa Na Moral, apresentado por

Pedro Bial. Pesquisador da vida e obra de Chico Xavier (1910-2002), escreveu livros sobre o médium,  sendo que um deles originou o longa-metragem “Chico Xavier – O Filme” (2010). É autor das seguintes obras: “As Vidas de Chico Xavier” (Planeta); “As Lições de Chico Xavier” (Planeta); “Por Trás do Véu de Ísis” (Planeta); “Se É Para Brincar, Eu Também Gosto: Um Perfil Biográfico de Sonia Lins” (Casa da Palavra); “Almanaque TV Globo” (Globo); “Chico Xavier – Edição Comemorativa 100 Anos” (Planeta), e “Chico Xavier: O Livro do Filme de Daniel Filho” (Leya).

Marcia Tiburi é graduada em filosofia e artes e mestre e doutora em filosofia. Publicou diversos livros de filosofia, entre elas as antologias “As Mulheres e a Filosofia”, “O Corpo Torturado”, e “Mulheres, Filosofia ou Coisas do Gênero”, “Seis Leituras Sobre a Dialética do Esclarecimento”. Em 2008 publicou “Filosofia em Comum – Para Ler Junto” (Ed. Record). Para crianças, publicou o infantil “Filosofia Brincante” (Ed. Record). Em “Olho de Vidro, A Televisão e o Estado de Exceção da Imagem” (Ed. Record), fez uma reflexão sobre o veículo de comunicação. No romance, Marcia se destaca por “Magnólia” (Ed. Bertrand Brasil), indicado em 2006 ao Jabuti de melhor romance, “A Mulher de Costas” em 2006 (Ed. Bertrand Brasil). Em 2009, com o romance “O Manto” (Ed. Record), finalizou a série intitulada Trilogia Íntima. Em 2012 publicou mais um romance, “Era Meu esse Rosto” (Ed. Record). Escreveu para várias revistas e jornais e desde 2008 é colunista da Revista Cult.

Mary Del Priore é especializada em História do Brasil, reconhecida por transformar fatos históricos em crônicas. Com mais de 20 livros publicados, Mary recebeu diversos prêmios, entre eles o Jabuti por “História da Vida Privada” e “História das Mulheres no Brasil”. Publicou também “Uma Breve História do Brasil”, em conjunto com Renato Venancio, e o mais recente, “A Carne e o Sangue – A imperatriz D. Leopoldina, D. Pedro I e Domitila, a Marquesa de Santos”. Lecionou em diversas universidades do país e continua dando aulas. Atualmente, mora em uma chácara, na região serrana do Rio.

Paula Pimenta nasceu em Belo Horizonte (MG). Desde criança apresentou aptidão para a escrita e por esse motivo prestou vestibular para Jornalismo, embora tenha transferido para Publicidade, curso no qual se formou na PUC Minas. Estudou também Música na UEMG, deu aulas de violão e técnica vocal por vários anos, e é compositora. Sua carreira de escritora começou em 2001, com o lançamento do livro de poemas “Confissão”, relançado em 2013 pela Gutenberg. Na mesma época, foi convidada para ser colunista do site Crônica do Dia, no qual escreveu por vários anos. Paula Pimenta ficou realmente conhecida do grande público em 2008, quando lançou “Fazendo meu filme 1 – A estreia de Fani”, pela editora Gutenberg. Em 2009, lançou “Fazendo meu filme 2 – Fani na terra da rainha” e, em 2010, “Fazendo meu filme 3 – O roteiro inesperado de Fani”. Em 2011, lançou uma nova série: “Minha vida fora de série – 1ª temporada”, sobre Priscila, uma garota apaixonada por séries de TV. Em 2012 publicou o último volume da série “Fazendo meu filme 4 – Fani em busca do final feliz” e seu primeiro livro de crônicas “Apaixonada por palavras”. Atualmente, é também colunista do jornal O Tempo.

Renato Zupo é de Belo Horizonte e nasceu quando o homem pisou na lua pela primeira vez. Vendeu livros de porta em porta, foi vocalista de banda de rock e militar do exército brasileiro. Formado e pós-graduado em Direito, foi advogado e professor universitário. Hoje é juiz de direito e é em Araxá que ganha seu pão de cada dia. Nessa trajetória, nunca deixou de escrever. Seus textos espalham-se por diversas publicações mineiras e há inúmeros trabalhos literários e jurídicos seus em revistas especializadas. É colunista de periódicos impressos e virtuais e membro da Academia Araxaense de Letras. “Verdugo” (Ed. Livronovo) é seu primeiro romance.

Roberto Carlos Ramos é Pedagogo, Mestre em Educação pela Unicamp, Pós-Graduado em Literatura Infantil pela PUC-MG, membro da Associação Internacional dos Contadores de Histórias e Valorizadores da Expressão Oral Mundial, sediada em Marselha (França). Em 2001 foi eleito como um dos dez maiores contadores de histórias da atualidade em Seattle, nos Estados Unidos.

Rubinho do Vale é cantador mineiro das terras do Jequitinhonha com vários discos gravados sendo sete dedicados às crianças. Sua música é retrato fiel do Vale e do Brasil, assim esse cantador é cada dia mais regional e cada vez mais universal, mais sonhador e mais autêntico. São folias, toadas, batuques, xotes e baiões, falando das coisas do interior, da vida e da esperança do povo brasileiro.  As letras de suas músicas estão em livros de muitas editoras, como FTD, Moderna, Do Brasil, Miguilim, Positivo, Lê, entre outras.

Ruy Castro nasceu em 1948, em Caratinga, Minas Gerais. Começou como repórter em 1967, no Correio da Manhã, do Rio, e passou por todos os grandes veículos da imprensa carioca e paulistana. A partir de 1990, concentrou-se nos livros. Publicou, entre muitos outros, as biografias de Carmen Miranda, Garrincha e Nelson Rodrigues, e obras de reconstituição histórica, sobre a Bossa Nova, Ipanema e o Flamengo. É cidadão benemérito do Rio de Janeiro.

Serviço:

2º Festival Literário de Araxá – Fliaraxá

Data: 19 a 22 de setembro de 2013, quinta a domingo.

Local: Fundação Cultural Calmon Barreto – Praça Arthur Bernardes, nº 10 – Centro/Araxá

[fbcomments]