Notícias

Caminhão Museu da UFMG marca presença no 8º Fliaraxá

28 de maio de 2019

Imagine um museu itinerante, que anda por aí contando histórias para milhares de pessoas de diversos lugares do Brasil! O Caminhão Museu da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), é equipado com tecnologia de ponta de informação, é um equipamento cultural moderno, de circulação de conhecimento e entretenimento. Tudo isso vai estar presente no 8° Fliaraxá. O museu itinerante, que já passou por oito estados brasileiros e já foi visitado por mais de 48 mil pessoas, chega a Araxá com a mostra Conflitos: fotografia e violência política no Brasil (1889-1964). A exposição é realizada em parceria com o Instituto Moreira Salles e com curadoria de Artes Visuais de Heloisa Espada e Consultoria de Ângela Alonso (USP/CEBRAP); Ângela Castro Gomes (UNIRio); Heloisa Murgel Starling (UFMG).

Quem comparecer ao Caminhão Museu poderá conhecer a história do Brasil contada em episódios. Alguns que já ficaram quase que esquecidos da nossa memória, como a Revolução Federalista, Revolta Armada, Guerra de Canudos, Guerra do Contestado, Revolta da Vacina, Revolta Naval (da Chibata), Revolução Gaúcha de 1923, Revolução de 1924, Coluna Miguel Costa-Prestes, Revolução de 1930, Guerra Guerra Civil de 1932, Insurreição Comunista, Banditismo Social Cangaceiro, Motins pós-suicídio de Vargas, Levante de Porecatú, República de Formoso e Trombas, Revolta de Jacareacanga, Insurreição de Aragarças, Campanha da Legalidade e Golpe de Estado de 1964.

Área interna

Todas essas memórias estão dividas em seis ambientes de imersão. Sala de cinema, na qual serão exibidos continuamente vídeos de animação narrados por alguns artistas brasileiros como Chico Buarque, Maria Bethânia, Gilberto Gil, Vera Holtz, Wagner Moura, Letícia Sabatella, José Wilker, Caio Blat, Marcos Palmeira, Regina Casé e Dira Paes.

O segundo ambiente é um espaço da imaginação, que materializa a ideia de espaço público. Neste espaço, o visitante terá acesso a uma biblioteca com vários títulos, computadores e estereoscópios.

O terceiro é a Tela Externa. Nele as pessoas assistem a três curtas raros do acervo do Instituto Moreira Salles. Os três filmes são cenas de Lampião e seu bando, da Revolução de 1924 e da Revolução de 1930. Além deles, haverá um vídeo montagem com fotografias de Canudos, de autoria de Flávio Barros (único único fotógrafo autorizado pelo Exército a fotografar a guerra).

A Galeria dos Eventos é o quarto espaço. Ele conta com painéis giratórios ao longo de toda a lateral do Caminhão Museu. Eles contém breves sobre os eventos retratados na exposição.

Por últimos, estão os espaços Tenda e Cenários. Neles os visitantes podem se vestir como um dos personagens da exposição. Tem senhor de engenho, capataz, jagunço sinhá, beato, cangaceiro, revolucionário. Além disso, o visitante pode ser fotografado em quatro cenários diferentes. As fotografias ficarão disponíveis nas redes sociais do Caminhão Museu.

A mostra Conflitos: fotografia e violência política no Brasil (1889-1964) estará presente durante todos os dias de realização do Fliaraxá 2019, de 19 a 23 de junho. O horário de visitação é das 9h ao meio dia e de 13h às 18h.

Horário de funcionamento

19 a 22 de junho
09h ao 12h
16h às 21h

23 de junho
09h às 17h

 

 

[fbcomments]