Notícias

“Alma, Leitura e Revolução” norteia o inverno do VII Fliaraxá

4 de Maio de 2018

Em 27 de junho, há 110 anos, nascia João Guimarães Rosa; há 80 anos, Graciliano Ramos publicava o clássico “Vidas Secas”. Por estes motivos, os dois autores serão os Patronos da sétima edição do Fliaraxá, que vai se realizar entre 27 de junho e 1 de julho nas dependências do Tauá Grande Hotel de Araxá, Minas Gerais.  Sempre carregado de conteúdo, bons autores e exaustivo trabalho curatorial, o tema deste ano será “Alma, Leitura e Revolução” e terá duas damas da literatura brasileira como autoras homenageadas: Ana Maria Machado e Marina Colasanti. Como patrono local, o poeta João Rios Montandon e autora homenageada local,  Leila Ferreira.

Já estão confirmados para o evento o angolano Gonçalo Tavares, o mexicano Juan Pablo Villalobos e os brasileiros Leonardo Boff, Monja Coen, Silviano Santiago, Marcelo Rubens Paiva, Marcia Tiburi, Humberto Werneck, José Miguel Wisnik, Pedro Bial, Luiz Ruffato, Djamila Ribeiro, Wander Melo Miranda, Angela Alonso,  Angela Castro, Heloísa Espada,  Ricardo Ramos Filho, Nilton Bonder, Heloisa Starling, Eugenio Bucci, Ilana Casoy, Cesar Bravo, Paula Pimenta, Maria Paula Dallari Bucci, Ricardo Aleixo, Marcel Souto Maior, Pedro Muriel,  Chico Mendonça, Sergio Abranches, a youtuber Jout Jout e toda a família Klink –  Amyr, Marina, Laura, Marininha e Tâmara. E ainda espera a confirmação de mais um convidado internacional.

Em uma iniciativa inédita, esta edição vai promover o Pré-Fliaraxá que contará com uma presença ilustre: o português Valter Hugo Mãe, no dia 18 de junho, às 20h, no Teatro Municipal. O autor vai falar sobre sua carreira,  a atuação nas artes plásticas, música e as influências artísticas em suas obras. As atividades do Pré-Fliaraxá ocorrerão entre 14 e 23 de junho, em diversos locais da cidade, onde o público poderá participar gratuitamente de palestras, lançamento de livros, oficinas, contação de histórias, peças de teatro, troca de livros e ainda exibição de filmes com debates sobre obras dos patronos deste ano, Graciliano Ramos e Guimarães Rosa. No site www.fliaraxa.com.br está a programação detalhada.

Na programação do VII Fliaraxá, entre os autores infanto-juvenis, destaca-se a presença de um dos mais importante escritores do gênero no Brasil, o paulista Pedro Bandeira. Ao seu lado, Leo Cunha, Marcelo Xavier, Ilan Brenman, José Santos, Rodrigo Libânio Christo, Lucrécia Leite, Fernanda Oliveira (Fê Liz), Salatiel Silva e Tino Freitas. O Fliaraxá dará continuidade às linhas traçadas com sucesso em sua sexta edição: forte presença nas escolas, professores e pais, com interlocução junto ao poder público na área de educação, a continuidade do “Concurso de Redação Maria Amália Dumont”; integração entre a história dos patronos e autores homenageados com os alunos e as escolas e programação específica e forte dirigida às crianças e adolescentes para explicar o tema e o evento, nas atividades do “Pré-Fliaraxá”.

Na frente do Grande Hotel de Araxá será instalada talvez a maior livraria de todos os festivais brasileiros, com 830 metros quadrados, administrada pela carioca Blooks, de Elisa Ventura. Nos diversos salões e espaços internos do septuagenário hotel, cerca de 80 convidados participam de encontros, palestras e debates. Em salas menores, o projeto “Mastigando Autores”, vai promover encontros entre autor e leitor, em uma programação de hora em hora;  na Livraria, o “Mastigando Leitores”, com sessões ininterruptas de autógrafos.

Na parte externa do Grande Hotel de Araxá será instalado, novamente, o “Fliaraxá Gastronomia”,  focado na culinária mineira e da região, além de fazer uma comunhão com a literatura. As cervejas artesanais, os queijos premiados da Canastra e os doces também estão no cardápio. E como será tempo de Copa do Mundo, haverá telões para transmissão dos jogos. E com uma excelente programação musical.

Nesta edição, muitas novidades vão agitar ainda mais o evento: o “Fliaraxá Mirim” vai construir atividades dedicadas às crianças na grama e arredores do Grande Hotel, como a exposição do Museu dos Brinquedos; o “Fliaraxá Turismo” vai incentivar as agências a promover visitas guiadas às fazendas produtoras de queijo e cachaça na região e na Serra da Canastra; o “Fliaraxá Empreendedor”, carregado de cursos, workshops e conteúdo, sob a responsabilidade do SESC, Senac, Sesi e Sebrae; e o  “Encontros CBL de Negócios”, a cargo da Câmara Brasileira do Livro. Além disso tudo, muita música, com uma intensa programação noturna.

O time de curadores é formado pelo criador do Festival, Afonso Borges, a professora  Heloisa Starling, da UFMG, o jornalista Eugenio Bucci, da USP e o  escritor Leo Cunha. Os curadores locais são Luiz Humberto França e Rafael Nolli. O Fliaraxá é uma realização da CBMM e do Ministério da Cultura, via Lei Federal de Incentivo à Cultura, com o apoio da Itaú, Cemig, Prefeitura Municipal de Araxá, Fundação Roberto Marinho, Câmara Brasileira do Livro, Câmara Mineira do Livro, Academia Araxaense de Letras, TV Integração e Uniaraxá. Toda a produção do evento está a cargo da Rubim Produções.

Um pouco de história

O Fliaraxá é realizado no município mineiro desde 2012. A primeira edição teve como tema “Juventude e Experiência” com a presença de 25 autores, reunindo 6 mil pessoas. Em 2013, com o tema “A Viagem na Literatura”, a segunda edição recebeu 44 autores e público de 8 mil pessoas. O terceiro evento, em 2014, com o tema “Leitura para um Mundo Melhor” somou 11 mil pessoas e presença de 39 autores. Em 2015, em sua quarta edição, o tema foi “Imagina o Livro, Imagina a Cidade”, contou com 60 autores e 15 mil expectadores. Em 2016, na quinta edição, com o tema “ O Amor, a Leitura e as Diferenças”, 16.732 mil pessoas participaram do festival, com a presença de 70 convidados. Em 2017, com o tema “Língua, Leitura e Utopia”, o Festival recebeu 25.776 pessoas, 80 autores, oferecendo 125 atividades. Mais de 110 mil livros foram comercializados na livraria do Fliaraxá, nestas seis edições. Desde o início, é realizado um concurso que premia as melhores redações de alunos das escolas da cidade, denominado “Prêmio de Redação Maria Amália Dumont”.

 

Comentarios

comments