Amyr Klink é navegador e explorador brasileiro, conhecido por suas expedições marítimas, foi o primeiro a atravessar o Atlântico Sul a remo e a circunavegar a região polar antártica. Soma em seu currículo mais de 2.500 palestras proferidas no Brasil e exterior. Nas palestras relata suas experiências em viagens que realiza desde 1978. É diretor da Amyr Klink Planejamento e Pesquisa Ltda. e da Amyr Klink Projetos Especiais Ltda. É sócio-fundador do Museu Nacional do Mar, localizado em São Francisco do Sul (SC) e da Revista Horizonte. Amyr é casado com a fotógrafa Marina Bandeira Klink e tem três filhas, as gêmeas Tamara e Laura e a caçula Marina Helena.

Marina Bandeira Klink é promotora de eventos, fotógrafa, palestrante, mãe e aventureira, é a matricarca da família Klink. Casada com Amyr desde 1996, é mãe das gêmeas Tamara e Laura, e da caçula Marininha. É também velejadora com mais de uma centena de competições no currículo. Além de tudo isso, Marina Klink se dedica a mais uma paixão: cafés. O que era um hobby virou um canal de comunicação com o mundo e, depois, mais um negócio bem-sucedido.  Com mais de 35 mil seguidores, ela dá dicas de cafeterias no Brasil e no mundo pelo perfil no instagram @1_cafe_e_a_conta. Além disso, Marina visita fazendas, entrevista produtores, experimenta torras especiais e publica depoimentos divertidos de amigos viciados em café.

Tamara(19) não sai de casa sem um livro e um caderno. Fala bastante e gosta de conhecer pessoas novas. Gosta de estudar arte, e, nas coisas que faz, mistura foto, desenho e texto. No barco, ela faz de tudo, mas prefere se enfiar na casa de máquinas do que no convés – e, quando não está com os dedos sujos ela mantém um diário de bordo no papel, um nesse site e um no youtube.

Laura tem 19 anos, é irmã gêmea de Tamara. Ama escrever, fotografar e velejar. Leva um jeito um pouco tímido, mas gosta muito de falar em público. Atualmente cursa design gráfico, ainda não sabe em que área quer trabalhar, mas de uma coisa tem certeza: Se puder, continuará dando palestras e também viajando com sua família. É imensamente grata a seus pais por ter tido as experiências e oportunidades que teve: “Quando fazemos estas viagens nunca saímos no prejuízo, sempre ganhamos muito em troca. São valores que levaremos para nossa vida”.
Marina é a mais nova da família, e tem 17 anos. Para ela, viajar várias vezes para o mesmo lugar é uma chance de perceber que uma experiência nunca é igual a outra. Pensa em cursar biologia marinha, que gosta desde pequena. Acredita que cada viagem é uma nova oportunidade de absorver e compartilhar valores e aprendizados. Gosta de velejar e palestrar, e gosta muito de ouvir novas histórias, conhecer pessoas diferentes e entender o mundo em que vivemos a partir de outras realidades. “A cada viagem, nós três aprendemos a trabalhar em equipe, ouvir e respeitar. Percebemos como somos pequenos em relação ao mundo, e ainda assim, como podemos fazer a diferença se tivermos vontade  e tomarmos iniciativa”